Welink Accountants Welink Accountants
 Como é que se faz um plano de contas?

Como é que se faz um plano de contas?

Welink Accountants

Welink Accountants

Resumo: 

 

1. O que é um plano de Contas? 

2. Qual o objetivo do Plano de Contas?

3. Como é que se faz um Plano de Contas? 

  • a. O que faz parte de um plano de contas?

4. Conclusão

 

 

 

O Plano de contas é responsável por organizar em categorias as informações económicas e financeiras das empresas. 

 

É um processo de construção que nunca está terminado, pois está continuamente a receber novos complementos, pelo que se pretende esteja sempre em constante evolução. 

 

É um instrumento de controlo do património da empresa, porque permite por exemplo, após consulta ao mesmo, elaborar o balanço patrimonial da empresa.  

 

 

1. O que é um plano de Contas? 

 

O Plano de Contas é na realidade uma lista organizada e ordenada de todas as contas, considerando ativos, passivos, receitas e despesas, que fazem parte do chamado Plano Oficial de Contas, o POC. 

 

Como se trata de várias contas, estas estão identificadas por símbolos e ou códigos, letras ou números, para cada uma das contas. É muito importante que essa terminologia seja clara, partindo do geral para o particular. 

 

O Plano de Contas dá informação sobre todas as contas a pagar e a receber, logo nele também estão visíveis, por exemplo, os pagamentos de salários aos colaboradores da empresa e todas as obrigações legais, como por exemplo, o pagamento de impostos.

 

O Plano de Contas deve ter algumas características, tais como a homogeneidade, a integridade, a sistematicidade e a flexibilidade. Desta forma o Plano de Contas assume um papel de suporte importantíssimo para a tomada de decisão dos gestores. 

 

 

2. Qual o objetivo do Plano de Contas?

 

O objetivo de um Plano de Contas é mostrar ao gestor o estado de “saúde” da sua empresa. Assim o gestor é capaz de identificar quais os fluxos, despesas e receitas que está a ter e saber em que períodos de tempo ocorrem. 

 

Desta forma é possível tomar algumas decisões que visem tornar a empresa mais eficiente, nomeadamente cortar certas despesas, verificar a necessidade de contrair empréstimos antes que determinada situação piore, ou caso a empresa tenha um saldo positivo, poder optar por fazer investimentos. 

 

Um bom Plano de Contas evita gastos desnecessários, e ajuda a identificar qual a melhor situação para a empresa em determinado momento. 

Uma das grandes vantagens do Plano de Contas é padronizar as movimentações financeiras da empresa, otimizando os processos. 

 

 

3. Como é que se faz um Plano de Contas? 

 

Embora um Plano de Contas possa ser personalizado, de acordo com a empresa a que se destina, há sempre aspetos que são comuns a todos os Planos de Contas. 

 

As contas do Plano de Contas são detalhadas e divididas em subcontas, de acordo com as categorias que se seguem: ativos, passivos, custos, despesas e receitas. 

 

Ao elaborar o Plano de Contas este deve ser o mais detalhado possível, para que seja possível perceber cada uma das categorias e tomar as melhores decisões, relativamente ao futuro da empresa. 

 

 

O que faz parte de um plano de contas?

Do Plano de Contas fazem parte as contas devedoras, ou seja, os ativos. Aqui estão todas as contas relativas aos bens e direitos da empresa, onde encontramos as contas a receber e os movimentos bancários e investimentos que a empresa fez. 

 

Se um ativo for realizável num período de tempo inferior a 365 dias, dizemos que é um ativo circulante. Se por outro lado, o ativo for realizável num período de tempo considerado longo, maior que 365 dias, dizemos que é um ativo não circulante. 

 

Do outro lado do Plano de Contas temos as contas credoras, o nosso passivo. O passivo é a parte que corresponde aos deveres da empresa, onde incluímos os financiamentos. Se os passivos forem inferiores a 365 dias, dizemos que são passivos circulantes. Se os passivos forem superiores a 365 dias, são passivos não circulantes e de longo prazo. 

 

Nas contas credoras, incluímos ainda o património líquido da empresa que é o capital social, ou seja, o capital que pertence aos sócios e acionistas. 

 

Existem ainda as despesas variáveis, que são custos e que também são contas devedoras. Aqui incluem-se todos os encargos que a empresa tem para produzir o seu produto ou prestar o seu serviço.

 

Outra parte do Plano de Contas é a despesa – conta devedora. Aqui consideramos as despesas fixas que a empresa tem para assegurar o normal funcionamento da sua atividade. Podem ser despesas com marketing e publicidade, despesas com material necessário ao dia a dia da sua atividade, despesas com juros de empréstimos, etc. 

 

Para fechar o Plano de Contas não podemos esquecer as receitas. As receitas são contas credoras. Das receitas da empresa fazem parte os valores que entram em caixa relativos à venda de produtos ou à prestação dos serviços, e também as que têm origem nos juros e rendimentos de investimentos. 

 

 

4. Conclusão

 

O Plano de Contas permite à empresa perceber as suas prioridades, e manter em ordem as suas contas, mostrando às outras empresas e aos seus clientes que mantém uma boa situação no mercado. 

 

Um bom Plano de Contas é fundamental para uma boa gestão financeira da empresa, pena é, que muitas empresas não lhe reconheçam o devido valor. 

É um contabilista certificado ou um revisor oficial de contas?

Referencie o seu escritório no primeiro site especializado em contabilidade.