Welink Accountants Welink Accountants
Contabilidade no estrangeiro: tudo o que precisa de saber

Contabilidade no estrangeiro: tudo o que precisa de saber

Welink Accountants

Welink Accountants

Com o desenvolvimento da Internet e dos novos meios de comunicação, o mundo já não conhece os limites. As empresas estão em expansão internacional, onde existem inúmeras oportunidades.

 

Como contabilista, poderá ter clientes no estrangeiro. Quer sejam clientes europeus, cidadãos franceses residentes no estrangeiro, filiais, etc. Esta é uma profissão que se abriu recentemente à concorrência. Desde 2016, os procedimentos de reconhecimento das qualificações profissionais dos contabilistas europeus tornaram-se mais flexíveis. Como resultado, os contabilistas franceses podem realizar tarefas dentro da União Europeia.

 

Mas como se pode fazer? Qual é o papel de um contabilista no estrangeiro? Não entrem em pânico, vamos explicar.

 

 

Resumo:

 

1. Clientes internacionais: o papel do contabilista como orientador

  • a. Quais clientes?
  • b. O papel do contabilista nos negócios internacionais 

2. União Europeia: um sistema de contabilidade comum?

  • a. Cada um tem o seu jeito
  • b. Equilibrar a contabilidade para facilitar o comércio
  • c. Normas Internacionais de Informação Financeira: normas contabilísticas para todos

3. Quem pode ser contabilista internacional? 

  • a. Línguas 
  • b. A cultura
  • c. O ambiente juridico

4. Conclusão

 

 

1. Clientes internacionais: o papel do contabilista como orientador

 

É de notar que o contabilista tem um papel de 360º. Graças à sua experiência, ele sabe como identificar empresas com os ativos e os meios para se internacionalizarem. 

 

 

Quais clientes?

Pode assim oferecer aos seus clientes portugueses a oportunidade de se expandirem no estrangeiro, particularmente na Europa.

 

Naturalmente, um contabilista certificado em Portugal também pode ter clientes do estrangeiro. O rigor e o know-how dos contabilistas portugueses já não estão em questão e continuam a ser procurados em todo o mundo.

 

 

O papel do contabilista nos negócios internacionais 

Em qualquer caso, a missão do contabilista certificado é assistir o seu cliente na gestão, administração, finanças, mas também em questões jurídicas. É portanto necessário estar particularmente bem informado sobre as diferentes formas de fazer as coisas no país. Isto requer muitas competências, mas acima de tudo uma grande capacidade de adaptação.

 

De facto, mesmo que a Europa tenha agora uma certa expansão graças à União Europeia, alguns regulamentos podem variar. O papel do contabilista é, portanto, ajudar o seu cliente a todos os níveis, graças ao seu conhecimento do mercado e do país em questão.

 

 

2. União Europeia: um sistema de contabilidade comum?

 

Infelizmente, o desenvolvimento internacional permanece complexo devido a diferentes técnicas contabilísticas. 

 

 

Cada um tem o seu jeito

A contabilidade é de facto um produto social, inventado por uma sociedade de acordo com as suas necessidades. Cada país criou assim as suas próprias regras contabilísticas, que reflectem os seus fundamentos económicos, financeiros, jurídicos e, de um modo mais geral, culturais.

 

 

Equilibrar a contabilidade para facilitar o comércio

Obviamente, a globalização favorece o comércio e, por conseguinte, a simplificação do sistema contabilístico, se não a sua unidade. A chegada da União Europeia está de facto a tender para o equilíbrio das regras, particularmente no que diz respeito à contabilidade.

 

Existe uma necessidade real de convergência a este nível, a fim de facilitar o comércio entre os países membros da UE. De facto, no interesse da equidade e da transparência, é necessário poder comparar empresas.

 

 

Normas Internacionais de Informação Financeira: normas contabilísticas para todos

A fim de equilibrar a contabilidade entre países membros, a União Europeia decidiu a 19 de Julho de 2002 adotar as Normas Internacionais de Informação Financeira (IFRS) como o conjunto único de normas contabilísticas para todas as empresas cotadas nos mercados financeiros europeus.

 

O processo de convergência está em curso, mas levará tempo e dinheiro. As Normas Internacionais de Relato Financeiro (IFRS) são consideradas complexas, o que significa que os custos de produção de contas são significativos, especialmente para as PME (Pequena e média empresa). 

 

Uma versão mais leve das normas IFRS, destinada às PME, está portanto a ser desenvolvida a nível mundial. 

 

 

3. Quem pode ser contabilista internacional? 

 

Tornar-se um contabilista internacional não é para todos. De facto, certas competências serão essenciais para completar com sucesso a sua missão no estrangeiro.

 

 

Línguas 

Pode parecer tolice, mas tornar-se um contabilista internacional requer um excelente nível de conhecimentos linguísticos, especialmente de inglês.

 

Porque mesmo que os seus clientes no estrangeiro sejam portugueses, a maioria dos documentos e regulamentos estarão ou na língua local ou em inglês. 

 

É portanto essencial que um contabilista que deseja internacionalizar-se tenha um nível muito bom de inglês, ou mesmo outra língua.

 

 

A cultura

A aprendizagem de outra língua também lhe permite compreender melhor a cultura de um país. É uma excelente solução para integrar e compreender as particularidades do mercado, bem como as formas de fazer as coisas.

 

Cabe ao contabilista explicar ao seu cliente as diferenças culturais do país em questão e lidar com elas.

 

 

O ambiente juridico

Finalmente, como mencionado acima, mesmo que a contabilidade tenda a ser equilibrada, em particular através da referência às normas IFRS, é necessário compreender plenamente o ambiente juridico de um país. Quais são as leis aplicáveis? O que é um tratado fiscal?  Quais são os regulamentos em vigor?

 

Tantas questões e especificidades que não podem ser deixadas ao acaso e que requerem a aprendizagem do sistema operativo em cada país

 

A contabilidade no estrangeiro exige um grande conhecimento, que se aprende com a experiência. É por isso que algumas firmas de contabilidade se especializaram em contabilidade internacional.



4. Conclusão

 

Com a globalização, o modelo de negócio das empresas está a mudar. Os contabilistas certificados devem adaptar-se e até antecipar esta mudança. 

 

A profissão de contabilista certificado está em plena mudança. Para além da chegada de novas tecnologias, devem-se também formar para satisfazer as novas necessidades das empresas, particularmente na arena internacional. O inglês tornou-se essencial, seja para o intercâmbio com diferentes partes ou para seguir os regulamentos em vigor em toda a União Europeia.

 

Falar uma ou mesmo duas línguas tornou-se quase indispensável. Do mesmo modo, é necessário ter a mente aberta para poder trabalhar em contacto com outras culturas.

 

À medida que o comércio se torna mais internacional, a necessidade de mais contabilistas aumenta. As normas contabilísticas precisam de ser equilibradas entre países, no interesse da transparência e da equidade.

 

A contabilidade no estrangeiro não é uma tarefa fácil. Exige fortes competências, para além de uma formação básica em contabilidade, e alguma preparação.

É um contabilista certificado ou um revisor oficial de contas?

Referencie o seu escritório no primeiro site especializado em contabilidade.